Programação Java – JSP – Introdução e Conceitos iniciais

Olá Alunos,
Hoje iniciaremos nosso conteúdo de programação para internet utilizando a tecnologia Java/JSP.
Primeiramente baixe a apresentação de hoje, disponibilizada no link abaixo.
É importante, para os aluno que ainda não tiveram contato com programação para web, que leia a apostila introdutória sobre HTML e JSP disponíveis abaixo como artigo para estudo.

Revisão de conteúdo.

Introdução ao JSP

Bom estudo.

Artigos.
——————————————-
Apostila do Curso
https://armandohage.wordpress.com/artigos/

Links para estudo.
——————————————
Curso de HTML Básico
http://www.jspbrasil.com.br/index
Macromedia Studio 8 (Dreamweaver + Flash + Fireworks) no Debian usando o WINE

Anúncios

Programação em Java – JPA

Olá Caros,

Hoje faremos um estudo sobre a API JPA para acesso a dados, e como referencia utilizaremos o conteúdo público disponibilizado em : http://www.slideshare.net/guestf54162/jpa-java-persistence-api/

Após a leitura do material baixe os códigos do arquivo de configuração do banco de dados e a classe genérica de acesso aos dados.

Persistence.xml

GenericaDAO

Obs.: Para a boa utilização da classe GenericDAO, nas operações de modificação(Insert, Update e Delete), deve-se realizar as seguintes etapas: Criar um objeto do tipo GenericDAO, chamar uma das operações de modificação passando-se um objeto com valor para a chave primária, e ao final fechar a conexão utilizando-se do método fecharConexao().
Para operações de inclusão, onde a coluna de identificação é autoincremento, não é necessário passar o valor do atributo identifica com @Id.

Após a leitura do material adicional, implemente o projeto inicial utilizando a classe   GenericDAO.

Programação em Java – Java e Banco de Dados

Olá Alunos,

Neste tópico veremos as primeiras implementações em Java coom banco de dados. Será abordado a API JDBC, e faremos implementações simples para um pequeno conjunto de tabelas.
É necessário um conhecimento prévio de SQL, para realizar a manipulação dos registros do banco.

Para ter acesso ao material clique aqui

Material Complementar.

Exercício de sala de aula.

Construa um sistema, utilizando exclusivamente Desktop e Java, para realizar as operações de manipulação e recuperação da tabela usuario(login,senha,nome). Faça um tela de autenticação, um formulário principal, e uma cada ação de inclusão, exclusão e modificação. Crie um formulário para apresentar a lista de usuário em um objeto do tipo JTable.Pesquise como devemos criar relatório com IReport e Netbeans.

A seguir está disponível para Download o pacote Apache 2 Triad, contendo Apache, MySQL e PHP.

Apache2Triad Download

Links para estudo.

http://www.linhadecodigo.com.br/Artigo.aspx?id=1711

http://www.javafree.org/content/view.jf?idContent=13

http://www.netbeans.org/community/articles/interviews/toffoli-ireport-netbeans.html

http://forums.netbeans.org/ntopic15139.html

Material de aula sobre IReport eNetbeans

Plugin IReport para Netbeans

Exemplo de implementação de uma classe de conexão com o Banco de dados MySQL.

package aula;//Opcional

import java.sql.*;

import java.util.*;

/** Classe que realiza conexão com o banco
de dados

Neste exemplo é mostrado para um conexão com o Banco de Dados
MySQL.

Pode-se passar o nome ou o IP para identificar o servidor.

*/

public class Conexao{

String jdbc=”jdbc:mysql://localhost/bdaula“;

private String usuario = “root”;

private String senha = “123”;

Statement st;

Connection conexao;

private String msg=””;

private String sql=null;

ResultSet rs=null;

/** Construtor default */

public Conexao() {

try{

Class.forName(”com.mysql.jdbc.Driver“);

this.conexao = DriverManager.getConnection(jdbc,usuario,senha);

this.st = this.conexao.createStatement();

this.msg=”Conexão estabelecida com exito !\n”;

}

catch(ClassNotFoundException e) {

this.msg=”Driver JDBC-ODBC não encontrado!.Verifique a classe do
Driver”;

getmsg();

}

catch(SQLException e) {

this.msg=”Problemas na conexao com a fonte de dados,verifique o SQL passado.”;

getmsg();

}

}

/** Método para imprimir no console */

public void getmsg(){

System.out.println(this.msg);

}

/**Método para retornar a variável
de menagem*/

public String getMsg(){

return this.msg;

}

public void fecharConexao()throws SQLException{

try{

this.st.close();

this.conexao.close();

}catch(SQLException e){

this.msg=”Não foi possível fechar a conexao”;

getmsg();

e.printStackTrace();

}

}

public Connection getConexao() {

return conexao;

}

}

Programação em Java – Programação Gráfica

O material disponível para download contém o conteúdo inicial para programação gráfica utilizando Java.

Faça Download dos arquivos abaixo e acompanhe a atividade com o Professor.

Programação Gráfica em Java I

Programação Gráfica em Java II

Links para estudo.

http://www.guj.com.br/java.tutorial.artigo.38.1.guj

http://www.netbeans.org/kb/55/quickstart_pt_BR.html

http://www.guj.com.br/content/articles/netbeans/aplicacoes_com_netbeans.pdf

http://www.netbeans.org/kb/trails/matisse_pt_BR.html

Banco de Dados – Introdução ao SQL

Olá Alunos,

Na aula de hoje iniciaremos o nosso estudo sobre SQL, linguagem de consulta para o banco de dados.
Utilizaremos o MySQL para nossa simulação, mas antes faça download do material teórico.
Para ter acesso ao material clique em : Introdução ao SQL

Após ler o material e realizar alguns teste em sala, vale realizar as leituras complementares para gerencia de dados em Windows e Linux. Os arquivos estão disponíveis nos endereços:

http://info.abril.com.br/dicas/arquivos/dica_749.shl

http://diegograssato.wordpress.com/2008/07/25/administrando-banco-de-dados-mysql/

===============================================================

O trecho a seguir foi retirado do primeiro link onde é destacado a gerencia do MySQL pelo prompt de comandos em ambiente Windows.

===============================================================

Agora, mão na massa. Baixe os programas e, primeiro, instale o MySQL. Para facilitar, aceite a instalação-padrão. Assim, o programa será acomodado no diretório c:\mysql. Passe à ativação do servidor de bancos de dados. Aqui, o procedimento é diferente se você estiver usando uma versão do Windows da série 9x (98, Me) ou da família NT (NT 4.0, 2000 ou XP). No primeiro caso, abra a janela do MS-DOS e comande:

c:\mysql\bin\mysqld

Com isso, você inicia o motor de banco de dados do MySQL, que funciona em segundo plano. Para desligar a aplicação, digite numa janela DOS:

c:\mysql\bin\mysqladmin -u root shutdown

No Windows NT, 2000 ou XP, o MySQL roda como um serviço do sistema – ou seja, como um programa que fica sob controle do Windows. Para ativar o motor de banco de dados do MySQL, abra a janela Command Prompt e execute a seguinte linha:

c:\mysql\bin\mysqld –install

Atenção: na linha acima, o parâmetro install é precedido por dois hífens. Esse comando instala o serviço MySql no Windows NT, 2000 ou XP. Para verificar a instalação, abra o gerenciador de serviços (no NT, Painel de Controle/Serviços; no 2000 e XP, Ferramentas Administrativas/Serviços). O gerenciador lista em ordem alfabética todos os serviços controlados pelo sistema. Localize a linha “MySql”. A coluna Tipo de Inicialização (Startup), indica Automático, Manual ou Desativado. Para modificar alguma propriedade, dê um duplo clique na linha do serviço. No modo automático, o serviço é ativado junto com o sistema operacional. No manual, ele permanece desativado até que o usuário faça a inicialização. Em vez de utilizar o gerenciador gráfico, você também pode ativar e desligar o serviço na janela de prompt. Para ativar, digite:

net start mysql

Para interromper o serviço, use o comando:

net stop mysql

Ative o MySql. Agora, o banco de dados está pronto para entrar em ação. Para testar se ele foi instalado corretamente, no Windows 9x ou NT/2000/XP, execute a seguinte linha na janela Command Prompt:

c:\mysql\bin\mysql.exe

O sinal de que o programa está respondendo adequadamente é a mensagem “Welcome to MySQL monitor”, seguida de um prompt de comando do próprio cliente MySQL (mysql>). Esta é a interface do MySQL. Nela, você pode criar e administrar bancos de dados, digitando comandos em linguagem SQL. Para sair, digite quit. Veja alguns exemplos básicos. Para criar um banco de dados chamado teste, escreva:

mysqladmin create teste

Agora, diga ao MySQL para abrir esse banco de dados:

use teste

O banco de dados está aberto, mas não tem conteúdo. Crie uma tabela com dois campos – um numérico e outro de texto, este com espaço para 20 caracteres:

create table tabela1 (campo1 integer, campo2 char(20));

Também é possível usar comandos com linhas múltiplas. Veja o mesmo exemplo acima, disposto em várias linhas:

create table
tabela1
(campo1
integer,
campo2
char(20));

Para listar os nomes das tabelas do banco de dados, use:

show tables;

Da mesma forma, para ver a lista de campos da tabela1:

show columns from tabela1;

Agora, vamos inserir conteúdo nos campos da tabela:

insert into tabela1 (campo1, campo2) values (1, ´texto 1´);

Para exibir o conteúdo da tabela, use o comando select:

select * from tabela1;

Estes são exemplos de alguns comandos básicos. Para ver a lista completa, consulte o manual do MySQL, que fica no subdiretório mysql\docs. Para pesquisar com mais facilidade, uma boa idéia é entrar na ajuda começando pelo documento manual_toc.html, que é um arquivo-índice para o conteúdo da ajuda em manual.html.

Mas convenhamos: digitar comandos numa janela DOS não é a maneira mais agradável (nem a mais produtiva) de gerenciar bancos de dados. Uma solução mais interessante é usar um cliente gráfico do MySQL. Assim, você trabalha mais confortavelmente numa tela Windows e esse programa-cliente é que se encarrega, nos bastidores, de enviar comandos ao MySQL.

Um bom cliente para o MySQL é o programa brasileiro DBTools, da DBTools Software. O programa funciona em qualquer versão do Windows, desde que você tenha instalado o protocolo TCP/IP – o que é padrão em qualquer máquina que tem acesso à internet. Instale o aplicativo e execute-o pela primeira vez.

Clique no botão Server Manager, na barra de ferramentas. Na nova tela que se abre, clique no primeiro botão (New Server) e preencha alguns campos. Em Server Name, dê um nome para o servidor MySQL – por exemplo, Local. Em Host Name, digite o número IP de sua máquina (se você não está numa rede, digite o número de um servidor local: 127.0.0.1). Na caixa User ID, mantenha o nome root – quer dizer, o usuário com todos os direitos no sistema. A senha, por comodidade, você pode deixar em branco. Clique no ícone Salvar e em seguida no ícone do relâmpago, para testar a conexão. Se tudo estiver bem, o programa avisa: “Connection successful”. O programa está pronto para o trabalho.

Feche a janela Server Manager. O DBToools vai perguntar se você deseja carregar as mudanças feitas na configuração. Responda sim. Agora, a janela de trabalho do DBTools mostra, na porção esquerda, o servidor Local (MySQL). Se você abrir a pasta desse servidor, vai ver que ele já tem um banco de dados, mysql, pertencente ao sistema de gerenciamento do MySQL. O servidor tem ainda um cadastro de usuários, no qual só está listado o superusuário root.

Vamos agora criar e manusear um banco de dados com o DBTools. Clique no botão New Database e informe um nome para o banco de dados. Para dar utilidade ao nosso exemplo, vamos criar um banco de dados para uma coleção de CDs musicais. O nome do database será cd. Outra forma de criar um banco de dados é clicar com o botão direito no diretório Databases, na porção esquerda da janela, e escolher a opção Create. Após isso, o banco cd aparece como subpasta de Databases.

Por enquanto, cd está vazio. Vamos, então, adicionar a ele uma tabela de dados. Abra a pasta cd e selecione a subpasta Tables. Em seguida, na janela à direita, clique no link New. O DBTools abre uma janela na qual você deve digitar os nomes, tipos e tamanhos dos campos de dados. Digite os nomes dos campos, escolha os tipos e, no caso de campos de texto comum, indique os tamanhos.

Para campos de valores fracionários, indique o número de casas decimais na coluna Decimals. Há ainda colunas de propriedades – como Null e Auto – caracterizadas pelo padrão Sim/Não. Null indica se o campo aceita, ou não, valores em branco. A coluna Auto marca os campos de numeração automática. Salve as modificações e feche a janela com a estrutura da tabela. Agora, clique no nome da tabela discos e veja um resumo dos campos e propriedades no lado direito da tela.

No MySQL, um banco de dados corresponde a uma pasta dentro do diretório \mysql\data. Cada tabela, por sua vez, está contida num conjunto de arquivos que abrigam dados e índices. Para inserir outras tabelas no banco de dados, adote o mesmo procedimento usado na criação de discos. Você pode, por exemplo, criar uma tabela chamada genero, que armazene gêneros musicais: MPB, rap, jazz, rock, clássico etc. Essa tabela seria uma doadora de informações para a tabela principal, discos. Infelizmente, o MySQL não suporta a criação de relacionamentos entre tabelas. Então, para associar os dados dessa segunda tabela aos valores do campo genero, em discos, seria necessário usar um programa que verificasse a coerência entre os dados.

===============================================================

O trecho a seguir foi retirado do segundo link onde é destacado a gerencia do MySQL pelo prompt de comandos em ambiente Linux.

===============================================================

Se como eu, você acessa o mysql através de outro micro, as permissões
de acesso devem ser alteradas:
# mysql -u root -p
mysql>
mysql> GRANT ALL ON *.* to root@192.168.0.1 identified by ‘anna’;
ou outro usuario

mysql> GRANT ALL ON *.* to diego@localhost identified by ‘anna’;

dando permissão somente acesso a um unico banco ao usuário:

mysql> GRANT ALL ON anna.* TO diego@localhost identified by ‘anna’;
Query OK, 0 rows affected (0.00 sec)

Para que as alterações referentes ao acesso a banco de dados e ao
servidor como um todo tenham efeito, é necessário que ao final de toda
rotina seja digitado o comando FLUSH PRIVILEGES, responsável por
validar as atualizações no MySQL:

mysql> FLUSH PRIVILEGES;

Vamos dar um exemplo criando um banco e duas tabelas e inserindo dados
em uma delas e trabalharemos um pouco nelas.
Entre no banco de dados local com o usuário que acabamos de criar:

#mysql -u diego –p
mysql>
mysql> CREATE DATABASE Cad;
Query OK, 1 row affected (0.00 sec)

Vamos verificar:

mysql>
mysql> show databases;
+--------------------+
| Database           |
+--------------------+
| information_schema |
| anna               |
| cad                |
| mysql              |
| test               |
+--------------------+
5 rows in set (0.00 sec)
mysql>

Pronto criado nosso banco  )
 Continuar lendo 
Postado em Sem categoria